Fundo setorial mineral tem mais de R$ 6 milhões para investir em ações em 2014

C&T Economia - Economia

O Fundo Setorial de Recursos Minerais (CT-Mineral) deve ter cerca de R$ 6 milhões para investir em novas ações em 2014. A partir de dados extraídos do Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA), o comitê gestor responsável se reuniu nesta segunda-feira (2) para começar a planejar como aplicar a verba.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Alvaro Prata, que preside o comitê gestor, a previsão total para o CT-Mineral é de R$ 8,47 milhões – “mesma ordem de grandeza de 2013” –, mas taxas, despesas e compromissos de anos anteriores reduzem o montante para R$ 5,89 milhões. “Esse é um recurso para novas ações, que podemos começar a imaginar.”

O secretário recordou a última reunião do comitê, em março, quando o colegiado resolveu aplicar os R$ 6,39 milhões disponíveis para 2013 em dois editais que viriam a ser lançados em setembro pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). “Apoiamos iniciativas ligadas a lítio, carvão, agrominerais e, principalmente, terras-raras, com a estratégia de alavancar outros R$ 5 milhões de ações transversais do FNDCT [Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico]”, disse Prata.

O secretário recordou a última reunião do comitê, em março, quando o colegiado resolveu aplicar os R$ 6,39 milhões disponíveis para 2013 em dois editais que viriam a ser lançados em setembro pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). “Apoiamos iniciativas ligadas a lítio, carvão, agrominerais e, principalmente, terras-raras, com a estratégia de alavancar outros R$ 5 milhões de ações transversais do FNDCT [Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico]”, disse Prata.

Na 29ª reunião ordinária do comitê gestor do CT-Mineral, nesta segunda, representantes do CNPq, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI) e do MCTI apresentaram balanços das ações do fundo setorial em andamento nas duas agências da pasta, responsáveis pela operação do FNDCT.

Além das três instituições, integram o colegiado: Ministério de Minas e Energia, Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), comunidade científica e tecnológica e setor produtivo. O próximo encontro deve ocorrer em fevereiro.

(Agência Gestão CT&I com informações do MCTI)

consorcio-abre-chamada-para-apoio-financeiro-a-participacao-do-brokerage-event  O consórcio internacional INCOBRA lançou nesta segunda-feira (7) uma chamada para conceder apoio financeiro aos participantes do...
embrapii-desenvolvera-projetos-de-inovacao-com-empresas-brasileiras-e-britanicasCinco unidades e um polo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irão desenvolver sete projetos de inovação...
capes-financia-projetos-conjuntos-com-a-holanda-em-todas-as-areas-do-conhecimento  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital nº 27/2017, referente ao Programa...
fapesp-e-cdti-anunciam-financiamento-para-pesquisa-inovativa  A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI)...
japao-e-brasil-financiam-projetos-em-varias-areas-do-conhecimentoA Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Sociedade Japonesa de Promoção da Ciência (JSPS, na sigla em...