ENTREVISTA – Isa Assef dos Santos, presidente da ABIPTI

Seção Entrevista - Entrevistas

Nesta entrevista, a presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI) faz um balanço da gestão em 2013, fala dos projetos da instituição e a expectativa para o Congresso ABIPTI 2014, que acontece em maio deste ano, em Brasília (DF).

 

Isa Assef dos Santos, presidente da ABIPTI - Foto: Divulgação/ABIPTIIsa Assef dos Santos, presidente da ABIPTI - Foto: Divulgação/ABIPTIQual avaliação a senhora faz do ano de 2013?

Este ano que passou foi de grande relevância para a ciência, tecnologia e inovação. O Congresso Nacional apoiou antigas demandas de cientistas e pesquisadores criando e aprovando novas leis para dar suporte ao desenvolvimento do setor. E a ABIPTI é parte fundamental neste processo, com o acompanhamento contínuo desses acontecimentos e dando todo o suporte necessário aos nossos associados.

Além disso, conseguimos implementar novidades como o SOMA [Sistema Organizacional de Monitoramento e Avaliação], uma plataforma virtual de oferta e demanda de serviços tecnológicos, lançada em 2013 durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia [SNCT], e oficializamos a retomada da pós-graduação para a formação de Agentes de Inovação e Difusão Tecnológica, o AGINTEC, criado pela ABIPTI em 1993 e que já capacitou mas de mil alunos. O curso agora está sendo oferecido em Manaus, com o apoio da Fucapi [Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica] e da Fapeam [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas]. Os dois projetos são fundamentais para a aproximação e capacitação das entidades de pesquisa, desenvolvimento e inovação [EPDIs], representadas pela ABIPTI.

Destaco também o sucesso do curso Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Financeiros em Ciência, Tecnologia e Inovação: da Teoria à Prática, promovido pela ABIPTI, e que teve grande procura ao longo do ano, em um total de seis edições realizadas.

Ainda na linha de capacitação, temos o Programa da Excelência na Gestão [PEG], projeto da ABIPTI que entende que um dos seus maiores desafios na atualidade é promover a melhoria do desempenho das organizações que representa, por meio do aprimoramento de suas práticas de gestão.

Outro produto da ABIPTI de destaque é a Agência Gestão CT&I (www.agenciacti.com.br), canal de comunicação na área de ciência, tecnologia e inovação, com cada vez mais acessos, não só no Brasil, como no mundo. O portal é uma evolução do Gestão C&T online e que já conta com 10 mil acessos diários.

A plataforma SOMA já está em funcionamento. Qual o papel da ferramenta para a interação entre os diversos atores da CT&I?

Diria que ela vai revolucionar o relacionamento entre esses atores, pois é uma plataforma única no mercado atualmente. Ela cria condições para as EPDIs mostrarem as suas capacidades e, ao mesmo tempo, permite buscar parceiros que a completem em projetos e demandas. Além, é claro, do aspecto como negócio. O SOMA também dá essa opção de os próprios associados manterem relações comerciais e venderam seus produtos para outras empresas que anseiam por eles. Vai ser um facilitador no mercado de CT&I. Tenho que destacar também a participação em massa dos associados à ABIPTI. Todos já fazem parte do SOMA e isso mostra a força com que ele se apresenta ao mercado.

O AGINTEC teve início em dezembro de 2013. Qual o papel da pós-graduação para a capacitação de profissionais qualificados para as EPDIs?

Estamos muito felizes em poder preparar esses profissionais. Iniciamos uma turma no início de dezembro, e tudo transcorre como nós esperávamos. Certamente, no futuro, eles poderão melhorar o nível da qualidade de qualquer instituição. O curso veio para somar e para contribuir com o crescimento, primeiro do Amazonas, e também do Brasil.

Uma das bandeiras levantadas pela ABIPTI no ano que passou foi o apoio à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 290/2013, que não foi votada em 2013, mas que está na pauta do Congresso em 2014. Qual é o impacto esperado desta medida para a ciência, a tecnologia e a inovação no Brasil?

Será um novo marco para a ciência, tecnologia e inovação no País fundamental para o desenvolvimento do Brasil. Ao acrescentar à Constituição Federal termos que estimulem a inovação e a parceria científica entre os setores público e privado, ela dará mais condições para que ambos se difundam no País e que possamos subir degraus na escala de maiores produtores de conhecimento e novas tecnologias em nível mundial.

Nos dias 6 e 7 de maio acontece, em Brasília, o Congresso ABIPTI 2014 com o tema “Ambiente Inovador no Brasil: Desafios para o Desenvolvimento Socioeconômico”. Qual a expectativa para o evento?

A melhor possível. Tenho certeza que teremos excelentes expositores e os debates serão do mais alto nível para contribuir com o desenvolvimento da CT&I no Brasil. Na edição do Congresso ABIPTI em 2012, ressaltamos a necessidade do País em estreitar o caminho entre as universidades e as empresas. Continuaremos neste propósito e, claro, contamos com a participação maciça do setor científico e dos nossos associados da ABIPTI.