Qualidade microbiológica de tomates provenientes da produção orgânica e convencional, artigo de Ana Lúcia Penteado

Análise de Especialistas - Opinião

Entre os anos de 2010 a 2012, a Embrapa Agroindústria de Alimentos, com recursos do CNPq, realizou uma avaliação microbiológica em tomates provenientes de produção orgânica e convencional vendidos em feiras e supermercados de diversas regiões na cidade do Rio de Janeiro. O objetivo era detectar a presença de microrganismos como a Salmonella ssp e E. coli, responsáveis por colocar em risco a saúde do consumidor. As análises foram feitas em mais de 500 tomates utilizados na preparação de saladas.

A Salmonella é um microrganismo que, se presente no alimento, pode causar infecção ou até mesmo levar à morte. A legislação brasileira determina sua ausência em 25 gramas do alimento para que haja segurança do consumidor. Nos Estados Unidos alguns surtos de Salmonella já foram associados a tomate, envolvendo uma grande quantidade de pessoas.

Nas análises feitas pela Embrapa, todos os tomates adquiridos tanto em feiras como em supermercados não registraram a presença deste patógeno, concluindo pelos resultados que os tomates comercializados na cidade do Rio de Janeiro estavam seguros para consumo.

E. coli, um microrganismo indicador de contaminação fecal, foi encontrado em três amostras de feiras livres. Um percentual pequeno, mas que indica que o produto não está em condições higiênicas satisfatórias.

Assim, a pesquisa mostrou que não houve diferença microbiológica entre as produções orgânicas e convencionais para os microrganismos analisados.

Ana Lúcia Penteado, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.