Bolsista da CAPES recebe prêmio internacional por tese sobre produtividade florestal

News - Latest

O pesquisar argentino Nicolás Ignacio Stahringer, recém-doutor pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e bolsista da CAPES no período de 2012 a 2017, ganhou o IPNI Scholar Award 2017. Concedido anualmente pelo Instituto Internacional de Nutrição de Plantas (IPNI, em inglês), o prêmio de US$ 2 mil foi um reconhecimento pela tese de doutorado intitulada "Parametrização de modelos de produtividade e equilíbrio nutricional para Pinus e Eucalyptus em Corrientes – Argentina".

O estudo de Nicolás estima produtividade e demanda nutricional de espécies florestais e recomenda corretivos e fertilizantes com base no equilíbrio e no diagnóstico nutricional.

“Alguns desses modelos, desenvolvidos e aprimorados no Departamento de Solos (DPS) da UFV, são utilizados por empresas florestais no Brasil para otimizar a eficiência técnica e econômica da fertilização e de uso de nutrientes. Na Argentina é a primeira vez que se realiza um trabalho destas caraterísticas para o setor florestal”, explica o pesquisador.

Para realizar a parametrização, inicialmente foi estimada a produtividade florestal atingível com base nas caraterísticas climáticas e edáficas (relativas ao solo), e de parâmetros da resposta fisiológica das culturas, usando o modelo ecofisiológico 3-PG, devidamente parametrizado e calibrado.

A pesquisa também permite conhecer a quantidade de nutrientes exportados no órgão de colheita (o tronco), assim como os nutrientes que ficam no campo, caso não tenham sido removidos os resíduos da colheita. Nicolás esclarece que esse conhecimento é fundamental para a conscientização da importância de conservar os resíduos no campo, já que estes acabam sendo uma fonte de nutrientes de liberação lenta, contribuindo para a sustentabilidade da produção. Por meio de análises foliares que permitem o refinamento das recomendações de fertilizantes, foi realizado ainda um monitoramento de estado nutricional.

Nicolás foi bolsista do Programa de Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG), por meio do qual realizou seu mestrado (2011-2013) e doutorado (2013-2017) na UFV. “Minha experiência no Brasil foi excelente! Cresci muito em todos os sentidos. Conheci pessoas excelentes que me acolheram da melhor maneira possível. Estarei sempre muito agradecido de ter tido a oportunidade de estudar em uma universidade extraordinária como a UFV”, afirmou.

Agência ABIPTI com informações da CCS/CAPES