Indústria quer ampliar investimentos dos Emirados Árabes Unidos no Brasil

C&T Internacional - Internacional

Segundo informações da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os Emirados Árabes Unidos investiram US$ 290,2 bilhões entre 2003 e 2016 no mundo e geraram 473 mil empregos. Mas a economia brasileira só conseguiu atrair US$ 1,5 bilhão e 2.579 empregos ou 0,5% do total. Para a CNI, é possível ampliar as relações econômicas e financeiras entre os dois países, pois, nos últimos anos, os emiráticos investiram justamente em setores onde há oportunidades no Brasil.

Nesse sentido, acontecerá no dia 17 de outubro o 1º Encontro Empresarial Brasil-Emirados Árabes Unidos, em Abu Dhabi. A iniciativa é fruto de uma parceria da CNI com a Embaixada do Brasil no país e conta com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil).

Foto: CNI Foto: CNI Na ocasião, o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, vai apresentar projetos privados em setores como alimentos e bebidas, construção civil, aeronáutica, metalurgia, petróleo e gás, agroindústria, têxtil e tecnologia da informação e comunicação, além das concessões no próximo ano em portos, aeroportos, rodovias e obras em saneamento.

“Em conversas com as Câmara de Comércio nos Emirados percebemos que há muito desconhecimento sobre o Brasil. Vamos apresentar projetos concretos e aproveitar para falar dos principais dados da economia. Há oportunidades de fusão, joint-venture, sócio-investidor e aquisições. A inflação está sob controle, a confiança começou a voltar, o desemprego está caindo”, explica o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

Missão

Ao todo, 25 presidentes de federações estaduais de indústria participam do encontro, que vai tratar da diversidade dos estados brasileiros e apresentar oportunidades de investimentos em diferentes setores como moveleiro, confecções, construção de edifícios, mineração, calçados, químico, automotivo, alimentos, tecnologia da informação, na cadeia de petróleo e gás, parcerias com empresas de logística e energia.

“Estamos precisando mostrar a cara do Brasil, como ele é diversificado. Por isso, estão indo presidentes de federações do Amazonas ao Rio Grande do Sul”, afirma Abijaodi. Os empresários estarão em Abu Dhabi para acompanhar a delegação de estudantes brasileiros do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) que participam da WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo.

Já do lado árabe, a Câmara de Comércio de Abu Dhabi contratou 10 especialistas em Brasil para apoiá-los durante o evento e sabatinar os empresários brasileiros, além das empresas associadas à Câmara. Estão confirmados, ainda, representantes do ADIA (Abu Dhabi Investment Authority), o maior fundo do Oriente Médio, responsável pelo investimento do excesso das receitas de petróleo do emirado, e o Dubai FDI (Dubai Foreign Direct Investment Agency).

Agência ABIPTI com informações da CNI