Universidade do Rio Grande inaugura primeiro laboratório flutuante para pesquisa marinha

C&T Educação - BR

 

O Ciências do Mar 1, primeiro dos quatro laboratórios flutuantes destinados a pesquisa marinha na costa brasileira, foi inaugurado nesta quarta-feira (30) pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg), no município de Rio Grande (RS). Esses laboratórios servirão como espaço de ensino e pesquisa dotado de avançada tecnologia para universidades federais, estaduais e privadas das quatro regiões brasileiras banhadas pelo mar.


A Furg foi indicada pelo Ministério da Educação (MEC) para dar início ao processo de construção das embarcações, pela sua experiência de mais de 40 anos em ensino e pesquisa de ciências do mar. No seu novo laboratório flutuante serão beneficiados mais de 2 mil alunos matriculados anualmente em cursos como oceanografia, engenharia de pesca e biologia, na região sul do Brasil.


De acordo com o professor do curso de oceanografia da Furg, Carlos Krug, o laboratório dá aos estudantes competitividade em nível internacional nas áreas de preservação, pesquisa, exploração, produção de tecnologia e inovação. “O Ciências do Mar 1 simboliza o fim da lacuna até então presente na formação de recursos humanos neste campo do conhecimento... É um ponto de inflexão e um avanço qualitativo na formação de recursos humanos”, destacou.


Até dezembro está prevista a entrega do Ciências do Mar 2, baseado na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que atenderá estudantes da região Norte do país. Para 2018 serão concluídos o Ciências do Mar 3, baseado na Universidade Federal Fluminense (UFF) e voltado aos universitários do Sudeste, e o Ciências do Mar 4, baseado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), para atender estudos na costa Nordeste.


Somente para aquisição dos equipamentos que serão usados nas quatro embarcações, serão investidos R$ 4,3 milhões, dentro do orçamento total do Laboratórios de Ensino Flutuantes. De acordo com o MEC, até o momento, do total de R$ 40 milhões previstos para o projeto, R$ 35,3 milhões já foram liberados pela pasta.


“Temos que aprofundar cada vez mais os meios para que a academia promova o desenvolvimento da ciência e da inovação, levando em consideração os recursos do mar. Como ministro da Educação, tenho obrigação ética e o compromisso com o país de levar adiante todos os projetos importantes que signifiquem o fortalecimento das universidades”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho.


(Agência ABIPTI, com informações do MEC)

incobra-brokerage-event-disponibiliza-plataforma-para-identificacao-de-parceiros-e-agendamento-de-networkings Já está disponível uma plataforma virtual para que os participantes do INCOBRA Brokerage Event registrem-se e criem o seu perfil de...
metodologia-do-curso-para-elaboracao-e-gestao-de-projetos-da-abipti-e-enaltecida-por-alunos “O diferencial deste curso é que ele é completo, apresenta todo o Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia para o aluno”, explica...
embrapii-desenvolvera-projetos-de-inovacao-com-empresas-brasileiras-e-britanicasCinco unidades e um polo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irão desenvolver sete projetos de inovação...
fapesp-e-cdti-anunciam-financiamento-para-pesquisa-inovativa  A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI)...
capes-financia-projetos-conjuntos-com-a-holanda-em-todas-as-areas-do-conhecimento  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital nº 27/2017, referente ao Programa...