Recursos da Alemanha financiarão projetos do Brasil sobre clima e biodiversidade

C&T Meio Ambiente - BR

 

A Alemanha destinará 10 milhões de euros para apoiar o Brasil em projetos de adaptação à mudança do clima e conservação da biodiversidade. O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e o diretor-geral do Ministério do Meio Ambiente da Alemanha, Karsten Sach, anunciaram nesta terça-feira (27) o investimento, que faz parte de um ajuste complementar à parceria já existente entre os dois países.

Além dos dois novos aportes financeiros, há ações em andamento voltadas para temas como gestão da biodiversidade marinha e costeira. “A Alemanha é o país que tem a maior parceria histórica na área socioambiental com o Brasil e vamos intensificá-la”, declarou Sarney filho, ao lembrar que a cooperação entre os governos brasileiro e alemão ocorre há mais de 45 anos.

Para o diretor-geral do Ministério de Meio Ambiente alemão, a parceria trouxe avanços importantes para a conservação ambiental e deve ser continuada. “Temos bastante orgulho desta exitosa cooperação com o Brasil”, afirmou Karsten Sach. “Reconhecemos que os impactos da mudança do clima estão aumentando e, por isso, é necessário agir”, exemplificou.

A Agência Brasileira de Cooperação (ABC) registra a assinatura recente de um total de 26 ajustes complementares vinculados ao acordo básico de cooperação entre Brasil e Alemanha. “Isso demonstra o enorme esforço conjunto dos dois países no sentido de aprimorar as nossas relações bilaterais, que já são excelentes”, comentou o diretor da ABC, embaixador João Almino.

Projetos

Com valor de 5 milhões de euros, o projeto “Apoio ao Brasil na Implementação da Agenda Nacional de Adaptação à Mudança do Clima” contribuirá para aumentar a resiliência no Brasil em um prazo de cinco anos, a contar de 2017. A iniciativa vai considerar os riscos climáticos em políticas nas esferas federal, estadual e municipal com o intuito de estabelecer ações em nível local, além de sensibilizar setor privado e sociedade civil para oportunidades diante da mudança do clima.

O segundo projeto é o de “Consolidação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC LifeWeb)”, que também será de 5 milhões de euros, com execução prevista até 2020. A ação tem o objetivo de administrar as áreas protegidas brasileiras em prol da preservação da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos. Entre os componentes, estão a preparação de planos de manejo e proteção e o fornecimento de infraestrutura e equipamentos para unidades de conservação ameaçadas e para parques com potencial atrativo.

(Agência ABIPTI, com informações do MMA)



incobra-brokerage-event-disponibiliza-plataforma-para-identificacao-de-parceiros-e-agendamento-de-networkings Já está disponível uma plataforma virtual para que os participantes do INCOBRA Brokerage Event registrem-se e criem o seu perfil de...
embrapii-desenvolvera-projetos-de-inovacao-com-empresas-brasileiras-e-britanicasCinco unidades e um polo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irão desenvolver sete projetos de inovação...
fapesp-e-cdti-anunciam-financiamento-para-pesquisa-inovativa  A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI)...
capes-financia-projetos-conjuntos-com-a-holanda-em-todas-as-areas-do-conhecimento  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital nº 27/2017, referente ao Programa...