Ministro espera que Brasil seja um dos primeiros países a ter tecnologia de carro autônomo

C&T Internacional - Internacional

 

No penúltimo dia da missão brasileira a Israel, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira, testou a tecnologia de carro autônomo desenvolvida pela empresa MobilEye, em Jerusalém. Durante 20 minutos, o ministro fez um passeio em um veículo que conseguiu detectar pedestres, semáforos, trocar de faixas, acelerar e diminuir sua velocidade de forma autônoma.

“Temos a expectativa de que o Brasil seja um dos primeiros países a ter esses veículos”, disse o Pereira ao final do trajeto. “Penso que esta tecnologia se adequa ao que estamos discutindo para a nova política automotiva brasileira, a Rota 2030”, complementou.

A previsão é de que em 2021 o carro autônomo seja comercialmente lançado no mundo. “Mas a empresa, que está construindo um centro de P&D em Jerusalém voltado especificamente para o setor, utilizando tecnologias de vários lugares do mundo, nos disse hoje que a partir do próximo ano, na Europa, diversos modelos já estarão em teste nas ruas”, informou o secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do MDIC, Igor Calvet.

A empresa, especializada em sistemas automotivos anticolisão, foi recentemente adquirida pela Intel por US$ 15 bilhões, opera em mais de 48 países e tem tecnologia aplicada em mais de 10 milhões de veículos no mundo.

Capital de risco e startups

O ministro Marcos Pereira e os técnicos do MDIC também visitaram a empresa Ourcrowd, responsável por uma plataforma com investidores de 112 países, criada há quatro anos e que investe em 120 startups. Com a ferramenta, investidores com valores menores, a partir de US$ 10 mil, começaram a ter acesso a um mercado que antes era exclusivo de fundos de capital de risco. “Foi uma visita importante para sabermos como esta empresa mudou a forma como o capital de risco é investido no mundo” disse o ministro.

No JPV, considerado um dos mais bem sucedidos fundos de investimento de capital de risco do mundo, a delegação brasileira conheceu a estratégia de internacionalização das startups nas quais a empresa investe. O sócio da JVP, Uri Adoni, informou que a empresa tem interesse em fazer investimentos no Brasil para apoiar startups brasileiras que tenham potencial de se tornarem globais desde o seu nascimento.

O Secretário de Inovação e Novos Negócios do MDIC, Marcos Vinícius de Souza, concluiu que a visita foi produtiva e importante para o sucesso do novo programa de internacionalização de startups que deve ser lançado ainda este ano.

(Agência ABIPTI, com informações do MDIC)

 


incobra-brokerage-event-disponibiliza-plataforma-para-identificacao-de-parceiros-e-agendamento-de-networkings Já está disponível uma plataforma virtual para que os participantes do INCOBRA Brokerage Event registrem-se e criem o seu perfil de...
metodologia-do-curso-para-elaboracao-e-gestao-de-projetos-da-abipti-e-enaltecida-por-alunos “O diferencial deste curso é que ele é completo, apresenta todo o Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia para o aluno”, explica...
embrapii-desenvolvera-projetos-de-inovacao-com-empresas-brasileiras-e-britanicasCinco unidades e um polo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irão desenvolver sete projetos de inovação...
fapesp-e-cdti-anunciam-financiamento-para-pesquisa-inovativa  A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI)...
capes-financia-projetos-conjuntos-com-a-holanda-em-todas-as-areas-do-conhecimento  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital nº 27/2017, referente ao Programa...