Acordo facilita acesso de MPEs e startups a projetos de inovação tecnológica

C&T Economia - Economia

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) assinaram um contrato destinado a facilitar o acesso de micro e pequenas empresas (MPEs) e startups a financiamentos, para investirem em projetos de inovação tecnológica. O objetivo é apoiar instituições de pesquisa tecnológica credenciadas em áreas de competência específicas, previamente selecionadas, na execução de projetos de inovação em parceria com empresas do setor industrial.

Antes, os investimentos e riscos no desenvolvimento do projeto eram compartilhados entre as três partes: Embrapii, instituição de pesquisa e a empresa interessada, que passaria a explorar as tecnologias e resultados. Pelo contrato firmado, agora o Sebrae poderá assumir até 70% ou 80% do aporte financeiro que cabe à empresa no projeto - caso seja uma micro ou pequena empresa, ou um microempreendedor individual (MEI).

São dois modelos de financiamento: desenvolvimento tecnológico, em que o projeto de inovação é desenvolvido em parceria com uma única MPE ou MEI; e encadeamento tecnológico, no qual a MPE ou MEI participa de projeto desenvolvido em conjunto com uma média ou grande empresa da cadeia produtiva. No primeiro caso, o aporte financeiro do Sebrae poderá chegar a até 70% da contraparte do MEI ou MPE (limitado a R$ 210 mil); no segundo, o aporte será de até 80% da contraparte (máximo de R$ 300 mil).

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), como Unidade Embrapii especializada em tecnologias de comunicações ópticas e sem fio, está apto a ajudar as empresas beneficiadas por esse acordo a desenvolver projetos de inovação em suas áreas de competência. Isso inclui aplicações com processamento de fala, visão computacional, machine learning e segurança da informação e comunicação em redes sem fio para os segmentos de utilities (óleo, gás e elétrico), meio ambiente, agricultura inteligente, manufatura avançada e cidades inteligentes/Internet das Coisas.

Segundo o coordenador técnico da Unidade Embrapii CPqD, José Pedro de Freitas, iniciativas como essa vão ao encontro de outras ações do CPqD voltadas à inovação aberta - como é o caso do Hiperespaço, criado no ano passado com o objetivo de estimular o trabalho colaborativo e o desenvolvimento de ideias inovadoras, principalmente entre a comunidade empreendedora. “Isso viabiliza a participação de startups e micro e pequenas empresas em projetos de desenvolvimento tecnológico de maior porte”, resume Freitas.

Entre os diversos projetos desenvolvidos pela Unidade Embrapii CPqD, destacam-se o primeiro beacon (dispositivo que transmite informações de identificação via Bluetooth) totalmente nacional, em parceria com a Taggen, e um cabo híbrido (metálico com fibra óptica no interior) capaz de conduzir energia elétrica e transmitir dados em banda larga ao mesmo tempo, em parceria com a empresa Furukawa.

(Agência ABIPTI, com informações do CPqD)

Especial: 26ª Conferência Anprotec

sinergia-e-politica-de-estado-sao-desafios-para-o-brasil-avalia-presidente-da-anprotec Maturidade. Essa é palavra que define o atual estágio do ecossistema brasileiro de empreendedorismo e inovação. O segmento conta com...
meta-chinesa-de-tornar-se-potencia-em-inovacao-cria-oportunidades-para-empreendimentos-brasileiros Fortaleza (CE) - O 13º Plano Quinquenal da República Popular da China estabelece metas ousadas para o desenvolvimento da economia. O...
fundos-de-capital-privado-sao-alternativa-a-crise-para-empresas-inovadoras Fortaleza (CE) - O atual ciclo recessivo da economia brasileira, iniciado em dezembro de 2014, atingiu em setembro o segundo pior...
empreendedorismo-em-negocios-de-impacto-social-cresce-no-brasil Fortaleza (CE) - Aos poucos o brasileiro começa a entender melhor a cultura do empreendedorismo, tida por muitos especialistas como...
gestores-apostam-em-integracao-de-esforcos-para-impulsionar-negocios-inovadores Fortaleza (CE) - Há aproximadamente duas décadas, o ecossistema brasileiro de inovação dependia exclusivamente dos governos...