Novo cabo para redes sinergéticas conduz energia elétrica e transmite banda larga

C&T Inovação - BR

 

Tecnologia poderá ampliar a oferta de banda larga - Foto: Divulgação/ InternetTecnologia poderá ampliar a oferta de banda larga - Foto: Divulgação/ InternetA Unidade Embrapii do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), em parceria com a empresa Furukawa, concluiu um novo projeto de cabos para redes sinérgicas, capaz de conduzir energia elétrica e, ao mesmo tempo, fazer a transmissão de dados em banda larga. A tecnologia, chamada Optical Distribution Cable (OPDC), poderá ampliar a oferta de banda larga e reduzir a poluição visual existente nos postes das redes aéreas de distribuição de energia.


Trata-se de um cabo metálico, que possui uma fibra óptica no interior. A nova tecnologia já está disponível e serve de base para outro projeto inovador no país: a implantação de uma rede sinérgica, desenvolvida pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), com o apoio dos programas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).


O diferencial do novo projeto, que teve custo de R$ 1,4 milhões, é o uso da fibra óptica dentro do cabo energizado, em redes de média tensão. O acesso às fibras ópticas no cabo condutor exige uma proteção elétrica feita por meio de um dispositivo isolador, que é o resultado importante e inovador desse projeto.


Para o diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), Jorge Guimarães, o novo cabo representa um grande passo na aplicação da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). “Sem dúvida, essa inovação poderá atender a uma crescente demanda por comunicação em banda larga, que cada vez mais exige novos investimentos em expansão das redes e descobertas de produtos mais eficientes”, declarou.


Segundo Carlos Alexandre Meireles Nascimento, engenheiro de tecnologia e normatização da Cemig e um dos desenvolvedores da tecnologia de redes sinérgicas, o novo cabo híbrido – que vem sendo utilizado com sucesso em um trecho da rede de distribuição da concessionária em Sete Lagoas – é um elemento importante na construção das smart grids (redes elétricas inteligentes).


Na avaliação do engenheiro, uma das vantagens é que se houver um rompimento do cabo, a fibra óptica permite detectar o ponto exato em que isso ocorreu, o que facilita o bloqueio da rede de energia para evitar acidentes e reduz o tempo de reparo do problema.


(Agência ABIPTI, com informações da Embrapii)

Especial: 26ª Conferência Anprotec

sinergia-e-politica-de-estado-sao-desafios-para-o-brasil-avalia-presidente-da-anprotec Maturidade. Essa é palavra que define o atual estágio do ecossistema brasileiro de empreendedorismo e inovação. O segmento conta com...
meta-chinesa-de-tornar-se-potencia-em-inovacao-cria-oportunidades-para-empreendimentos-brasileiros Fortaleza (CE) - O 13º Plano Quinquenal da República Popular da China estabelece metas ousadas para o desenvolvimento da economia. O...
fundos-de-capital-privado-sao-alternativa-a-crise-para-empresas-inovadoras Fortaleza (CE) - O atual ciclo recessivo da economia brasileira, iniciado em dezembro de 2014, atingiu em setembro o segundo pior...
empreendedorismo-em-negocios-de-impacto-social-cresce-no-brasil Fortaleza (CE) - Aos poucos o brasileiro começa a entender melhor a cultura do empreendedorismo, tida por muitos especialistas como...
gestores-apostam-em-integracao-de-esforcos-para-impulsionar-negocios-inovadores Fortaleza (CE) - Há aproximadamente duas décadas, o ecossistema brasileiro de inovação dependia exclusivamente dos governos...