Liderança do Brasil em energia eólica pode contribuir na redução das contas de luz

C&T Meio Ambiente - BR

O Brasil está na 5ª posição no ranking mundial de capacidade instalada de energia eólica, de acordo com a Global Wind Energy Council (GWEC), organização internacional especializada em fonte eólica. Houve uma expansão de 2.014 megawatts (MW) na geração dessa energia no país em 2016. O Brasil também ocupou a mesma colocação no ranking mundial de capacidade acumulada de geração eólica (10.740 MW).

Para o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME), Fábio Lopes Alves, a tendência é de que a geração dessa fonte renovável aumente nos próximos anos, o que pode, inclusive, baratear a conta de luz do brasileiro. “Hoje, mais de 7% de toda a energia produzida no Brasil é de energia eólica. Tem uma tendência de crescimento muito grande”, afirmou.

Alves ressaltou que a fonte eólica já é mais barata na comparação com a energia gerada em usinas hidrelétricas. “O Brasil tem sido muito proativo em fontes renováveis, tanto eólica como solar, e tem um programa ambicioso de aumentar essa participação da energia eólica na matriz energética do país”, pontuou.

Ainda assim, a principal fonte de energia no País continua sendo das usinas hidrelétricas de pequeno e grande porte que, em tempos de estiagem, precisa de ser auxiliada pelas usinas termoelétricas, que geram uma energia mais cara. De acordo com o MME, a boa notícia é que com a entrada em operação de novos campos eólicos, essa forma de energia passou a representar 6% do total no Sistema Interligado Nacional (SIN).

Nordeste na liderança

Beneficiado por temporadas de ventos fortes, a região Nordeste continua a ser o maior polo brasileiro de geração de energia eólica. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o Rio Grande do Norte foi o principal estado gerador no Brasil em 2016. As usinas potiguares produziram 1.206 MW médios no período, número que representa um aumento de 50% em relação a 2015.

“Hoje, no Nordeste, 50% da energia gerada é eólica, e a tendência é que isso cresça”, apontou Alves. "O Nordeste tem condição muito favorável de vento. Por conta disso, é a região onde hoje existe a maior instalação de parques solares e eólicos”, disse. Ele ressaltou que mais parques eólicos trarão mais empreendimentos solares, para complementar a fonte energética renovável.

(Agência ABIPTI, com informações do MME)

brasil-e-espanha-assinam-acordos-em-areas-que-envolvem-pesquisa-e-tecnologia Os governos do Brasil e da Espanha assinaram nesta segunda-feira (24) cinco atos de cooperação em quatro diferentes áreas, que...
editais-selecionam-projetos-de-pesquisa-conjuntos-entre-franca-e-america-do-sul A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou dois novos editais para seleção de projetos conjuntos...
acordo-entre-sebrae-e-cnpq-preve-r-134-milhoes-para-pesquisa-de-alto-impacto O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e...
edital-de-inovacao-da-industria-oferece-r-536-milhoes-a-empresas-e-startups Projetos inovadores com aplicações industriais terão incentivo de mais de R$ 53,6 milhões neste ano para serem desenvolvidos e...
pacote-de-inovacao-da-embrapii-injetara-r-100-milhoes-na-economia A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou nesta sexta-feira (17), durante a reunião da Mobilização...