Workshop debate tecnologia que converte energia ambiente em eletricidade

C&T Educação - BR

O ‘energy harvesting’ – traduzido como captação de energia – é uma nova tecnologia que poderá desenvolver dispositivos para conversão de energia ambiente em eletricidade. Para discutir o potencial das inovações dessa tecnologia, o Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e o Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) promovem em 24 de março, no campus de Araraquara, em São Paulo (SP), o workshop “Compósitos piezoelétricos, ferróicos e multiferróicos: aplicações em eletrônicos e energy harvesting”.

Serão discutidos exemplos de compósitos complexos onde essa tecnologia poderá ser utilizada, baseados em piezoelétricos, ferroícos ou multiferróicos em matriz polimérica ou cimentícia. Também serão abordadas técnicas de avaliação destas propriedades em nanoestruturas.

O desenvolvimento de nanomateriais para tecnologias de captação de energia termoelétricas, piezoelétricas, triboelétricas, piroelétricas, eletromagnéticas, incluindo a integração multimodal tornou-se um paradigma de design importante no desenvolvimento de nanogeradores – dispositivos capazes de gerar eletricidade a partir de coisas como o andar, a respiração, os batimentos cardíacos, ou mesmo as vibrações e o som do ambiente.

Da mesma forma, o desenvolvimento de novas baterias Li-ion ou supercapacitores capazes de armazenar a energia colhida é outra questão crucial para a evolução dos dispositivos miniaturizados auto-alimentados. Esses sistemas, projetados para funcionar com potência ultra baixa, oferecem grande promessa para aplicações em eletrônica implantável, sensores ambientais remotos e móveis, nanorobóticos, e demais tecnologias relacionadas à Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).


Os compósitos baseados em materiais inorgânicos/polímeros apresentam uma nova classe de materiais com propriedades elétricas, magnéticas e mecânicas específicas. A eletrônica flexível é hoje uma das tendências na área de materiais e dispositivos eletrônicos e os materiais orgânicos utilizados como matriz polimérica, nestes compósitos, possuem baixa condutividade elétrica, alta estabilidade química e baixa temperatura de processamento.

A programação completa do workshop está disponível aqui. Para mais informações ligue no (16) 3301-9712 ou (16) 3301-9865.

(Agência ABIPTI, com informações da Unesp)


brasil-e-espanha-assinam-acordos-em-areas-que-envolvem-pesquisa-e-tecnologia Os governos do Brasil e da Espanha assinaram nesta segunda-feira (24) cinco atos de cooperação em quatro diferentes áreas, que...
editais-selecionam-projetos-de-pesquisa-conjuntos-entre-franca-e-america-do-sul A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou dois novos editais para seleção de projetos conjuntos...
acordo-entre-sebrae-e-cnpq-preve-r-134-milhoes-para-pesquisa-de-alto-impacto O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e...
edital-de-inovacao-da-industria-oferece-r-536-milhoes-a-empresas-e-startups Projetos inovadores com aplicações industriais terão incentivo de mais de R$ 53,6 milhões neste ano para serem desenvolvidos e...
pacote-de-inovacao-da-embrapii-injetara-r-100-milhoes-na-economia A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou nesta sexta-feira (17), durante a reunião da Mobilização...