Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas lista tecnologia e inovação como prioridade

C&T Meio Ambiente - BR

A sociedade brasileira deu a largada para atingir as metas do país no contexto do Acordo de Paris sobre mudança do clima. Durante a primeira reunião do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas (FBMC), realizada nesta terça-feira (14), em Brasília (DF), uma agenda de trabalho foi montada para englobar todos os temas que são necessários nesse processo. Questões ligadas a finanças, defesa nacional, tecnologia e inovação estão entre as prioridades listadas.

A reunião deu origem a Câmara Temática de Florestas, Biodiversidade, Agricultura e Pecuária. Esses são os setores com os melhores resultados obtidos pelo país no combate ao aquecimento global. “É onde o Brasil já conseguiu reduzir suas emissões com maior intensidade e onde podemos reduzir ainda mais”, explicou o secretário-executivo do FBMC, Alfredo Sirkis.

Os diálogos estruturados incluirão, ainda, reuniões das câmaras temáticas de geração de energia, mobilidade e transportes, indústria e cidades e resíduos ao longo de todo o ano. O objetivo é integrar cada setor, do industrial ao agropecuário, na definição de medidas para cortar emissões e, com isso, evitar o aquecimento global.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, a câmara inicia um debate urgente e necessário sobre a mudança do clima e a economia sustentável. “Buscar soluções para o problema climático abre um leque de oportunidades que devemos aproveitar.  É um caminho que aponta para um novo projeto de desenvolvimento, cujo destino final é a criação de uma economia de baixo carbono a longo prazo, conciliando o crescimento econômico com a conservação e a valorização dos nossos ativos ambientais. Assim, promovemos o avanço sustentável do nosso país", afirmou.

A expectativa é que, até outubro, sejam consolidadas propostas para consideração durante a elaboração da Estratégia Nacional de Implementação e Financiamento para a Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC) do Brasil ao Acordo de Paris. Os demais interessados também têm até 30 de junho para enviar contribuições para a construção do documento.

O esforço global é manter o aumento da temperatura média do planeta bem abaixo dos 2ºC em relação aos níveis pré-industriais e garantir esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC. Considerada uma das mais ambiciosas, a meta brasileira é reduzir as emissões de carbono em 37% até 2025, com indicativo de cortar 43% até 2030.

(Agência ABIPTI, com informações do Ministério do Meio Ambiente e Mapa)


consorcio-abre-chamada-para-apoio-financeiro-a-participacao-do-brokerage-event  O consórcio internacional INCOBRA lançou nesta segunda-feira (7) uma chamada para conceder apoio financeiro aos participantes do...
embrapii-desenvolvera-projetos-de-inovacao-com-empresas-brasileiras-e-britanicasCinco unidades e um polo da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) irão desenvolver sete projetos de inovação...
capes-financia-projetos-conjuntos-com-a-holanda-em-todas-as-areas-do-conhecimento  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital nº 27/2017, referente ao Programa...
fapesp-e-cdti-anunciam-financiamento-para-pesquisa-inovativa  A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI)...
japao-e-brasil-financiam-projetos-em-varias-areas-do-conhecimentoA Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Sociedade Japonesa de Promoção da Ciência (JSPS, na sigla em...