Instituto de inovação em Minas Gerais receberá R$ 122,8 milhões do BNDES

C&T Inovação - BR

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 122,8 milhões para o projeto de implantação do Instituto Senai de Inovação – Centro Empresarial de Desenvolvimento e Inovação da Indústria Elétrica e Eletrônica (ISI-CEDIIEE), na cidade mineira de Itajubá. O projeto prevê a instalação de um complexo composto de quatro laboratórios para a realização de testes de Alta Tensão, Alta Potência, Elevação de Temperatura e Ensaios Mecânicos.

Os dois primeiros laboratórios, de maior porte e investimentos, terão fundamental importância na área de pesquisa e desenvolvimento (P&D), permitindo à indústria brasileira desenvolver novos equipamentos e sistemas, comparáveis com as tecnologias benchmarkings no mundo.

Além disso, os testes serão utilizados para desenvolvimento e certificação de equipamentos elétricos e eletrônicos, tais como transformadores de potência, disjuntores, transformadores para instrumentos, chaves, seccionadoras, isoladores, cabos e seus acessórios, painéis e componentes.

Poucos países contam com infraestrutura similar de P&D integrada ao setor industrial e a realização de testes em equipamentos elétricos e eletrônicos como os previstos no ISI-CEDIIEE. Entre eles, podem-se citar Estados Unidos (EUA), Canadá e países da Europa Ocidental.

O Brasil tem importante e diversificada base industrial de fornecedores da cadeia elétrica, que pode se beneficiar da nova infraestrutura. De acordo com o BNDES, o ISI-CEDIIEE poderá elevar a competitividade e inserção externa dessas empresas, incentivando geração de empregos qualificados e impulsionando atividades de PD&I.

A operação do BNDES integra o apoio do Banco ao Programa Senai de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira, cujo objetivo é investir na implantação e modernização de Institutos Senai de Inovação, Institutos Senai de Tecnologia, Centros de Formação Profissional e aquisição de novas unidades móveis.

(Agência ABIPTI, com informações do BNDES)